Nódulo na supra renal: é câncer ou não?

Já ouviu falar em supra renal? Muitos não conhecem, e outros passam a conhecê-la de maneira inesperada e de certa forma até preocupante, quando fazem exames como tomografia ou ressonância de abdômen e tem o resultado de um nódulo na adrenal (ou supra renal). E agora, é um câncer ou não? Tanto pacientes quanto médicos podem ter essa dúvida.

De forma geral nódulos adrenais são doenças silenciosas, descobertas ao acaso e sem relação com sintomas como dor abdominal ou lombar. Na maioria das vezes são diagnosticados através de exames de imagem, quando se está investigando dor ou outros sintomas da região abdominal.

Para sua correta investigação, é preciso entender o que estas glândulas  produzem.

Quais hormônios as supra renais produzem?

As adrenais são glândulas que ficam acima dos nossos rins, e são de extrema importância ao funcionamento do nosso corpo. Basicamente podem ser divididas em duas regiões (córtex e medula) que produzem diferentes hormônios. No córtex adrenal são produzidos:

  • Corticosteroides – exemplo principal é o cortisol, atua no humor, resposta imune, metabolismo dos carboidratos, gorduras e proteínas. Atua também no metabolismo ósseo, função cardíaca e tônus vascular periférico. Hormônio do stress, alerta e defesa liberado em nossa circulação em situações de “perigo”. 
  • Mineralocorticoides – exemplo principal é a aldosterona, atua no equilíbrio eletrolítico com ajustes de sódio e potássio, bem como regulação de água corporal. Contribui para elevação e manutenção da pressão arterial, volume de água e sódio no organismo.
  • Andrógenos – exemplos DHEA, androstenediona – precursores de hormônios masculinos, serão convertidos em testosterona ou estrógeno. 

Na medula das adrenais são produzidas as catecolaminas, adrenalina e noradrenalina – atuam como defesa do organismo em condições de estresse como infecções, fortes emoções, doenças graves. Prepara o corpo para reação de luta ou fuga, ações imediatas. Aumentam o ritmo cardíaco, pressão arterial, fluxo sanguíneo para os músculos, dilatação da pupila, participam do metabolismo dos carboidratos.

Ao compreender o funcionamento das adrenais e sua capacidade de produção hormonal, voltamos então ao primeiro questionamento: nódulos nas adrenais são benignos ou malignos?

É preciso ter em mente que a ocorrência de nódulos malignos na supra renal é bastante rara, correspondendo a 0,05 a 0,2% dos canceres em geral. O carcinoma de supra renal ocorre em menos de 5% dos nódulos encontrados na glândula. Já as metástases de outros tumores para as adrenais, podem ser diagnosticadas em média em 5% dos nódulos.

O que são então os nódulos adrenais?

Na maioria das vezes, os nódulos encontrados correspondem a adenomas, ou seja, nódulos benignos da glândula. Estes podem ser funcionantes ou não. Dizemos que um adenoma é funcionante quando produz de forma excessiva algum dos hormônios citados anteriormente: corticosteroides, mineralocorticoides, catecolaminas ou andrógenos, levando então a síndromes clínicas relacionadas aos hormônios secretados em excesso, como por exemplo síndrome de Cushing, Hiperaldosteronismo primário ou Feocromocitoma. Em contrapartida, os adenomas não funcionantes não se relacionam a produção hormonal.

Como saber se o nódulo é benigno ou maligno?

O primeiro passo para a investigação de nódulos adrenais é a dosagem dos hormônios produzidos pela glândula. Se as dosagens forem normais, conclui-se que o nódulo não é funcionante, podendo ser acompanhado periodicamente ou indicado tratamento cirúrgico em casos selecionados. Caso o nódulo seja funcionante, deve-se realizar o tratamento preconizado a cada síndrome clinica resultante do excesso hormonal, em alguns casos tratamento clínico e em outros abordagem cirúrgica da glândula.

De forma geral, além da avaliação funcional das adrenais (produção de hormônios), as características encontradas nos exames de imagem auxiliam na suspeita e distinção entre um possível adenoma e uma lesão maligna primária (carcinoma adrenal) ou secundária (metástases de outros tumores na glândula) da supra renal.

Consulte seu médico, tire suas dúvidas. Nada substitui a avaliação médica. No caso de nódulos adrenais o endocrinologista e o urologista são os mais indicados para seu acompanhamento.

4.6 26 votes
Gostou?
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários